Pesquisar este blog

segunda-feira, janeiro 02, 2017

Autor de chacina em Campinas carregava explosivos

Pessoas se aglomeram em volta de casa onde houve assassinato de 13 pessoas da mesma família em Campinas, na noite de Reveillón
Pessoas se aglomeram em volta de casa onde houve assassinato de 13 pessoas da mesma família em Campinas, na noite de Reveillón

Sidnei Ramis de Araújo, de 46 anos, responsável pela morte de 12 pessoas na virada do ano, em Campinas (SP), carregava consigo dez artefatos aparentemente explosivos. Ele invadiu uma casa no Jardim Aurélia com os artefatos, um canivete e uma pistola nove milímetros. Com a pistola, assassinou a ex-mulher, Isamara Filier, de 41 anos, o filho João Victor, de 8 anos, e outras dez pessoas, durante as comemorações de Ano Novo.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, o Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate), da Polícia Militar, foi acionado e levou os artefatos para análise. Após o ataque, Sidnei se matou. Outras três pessoas foram feridas e estão internadas cada uma em um hospital da região. A polícia está investigando o que motivou crime, mas as primeiras informações indicam que o atirador não aceitava a separação da mulher e reivindicava a guarda do filho.

Segundo uma testemunha que estava na casa no momento do ataque, Sidnei pulou o muro, entrou na casa por perto da meia-noite e começou a disparar contra os presentes. Essa testemunha, ao ouvir os primeiros disparos, pensou tratar-se de fogos de artifício, mas viu o tio cair no chão e percebeu o que ocorria. Correu para o banheiro e telefonou para a polícia e para unidades de resgate.


O caso foi registrado no 4º Distrito Policial de Campinas como homicídio consumado e planejado, seguido de suicídio. As investigações, no entanto, serão feitas pelo 3º Distrito Policial, por ser responsável pela área onde o crime ocorreu. Além das armas de Sidnei, seu carro, um gravador e um telefone celular foram apreendidos pela polícia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Opine com responsabilidade sem usar o anonimato usando a Liberdade de Expressão assegurado pelo artigo 5º da Constituição Federal.

Liberdade de expressão é o direito de todo e qualquer indivíduo de manifestar seu pensamento, opinião, atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, sem censura, como assegurado pelo artigo 5º da Constituição Federal.

Governo define nova data para o ‘Enem dos concursos’; CNU será em 18 de agosto

  O Ministério da Gestão divulgou, nesta quinta-feira (23), a nova data para o Concurso Público Nacional Unificado (CNPU), que ficou conhec...