Pesquisar este blog

sexta-feira, setembro 11, 2015

Presidenta Dilma visita obras da Ferrovia Transnordestina no Piauí

Nesta sexta-feira (11), a presidenta Dilma Rousseff esteve em Paulistana, no interior do estado do Piauí, para visitar as obras da Ferrovia Transnordestina. O trecho da obra compreendido entre os municípios de Eliseu Martins (PI) e Trindade (PE), e que passa por Paulistana, possui 423 quilômetros de extensão e já atingiu quase 50% de obras executadas.

Durante a visita, a presidenta andou de trem, recebeu explicações sobre a construção dos trilhos, tirou foto com trabalhadores e foi condecorada, pelos vereadores, com o título de cidadã honorária do município.

Presidenta Dilma visitou nesta sexta-feira (11) o trecho de obras da ferrovia Transnordestina entre os municípios de Eliseu Martins (PI) e Trindade (PE). Foto: Roberto Stuckert Filho/PR  

Presidenta Dilma visitou nesta sexta-feira (11) o trecho de obras da ferrovia Transnordestina entre os municípios de Eliseu Martins (PI) e Trindade (PE). Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Presidenta Dilma em visita ao trecho de obras da ferrovia Transnordestina entre municípios de Eliseu Martins (PI) e Trindade (PE), que já atingiu quase 50% de obras concluídas. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

A Ferrovia Transnordestina abrange os Estados do Piauí, Ceará e Pernambuco. Sua construção possibilitará o escoamento de produtos do sertão nordestino pelos portos de Pecém (CE) e Suape (PE). A extensão total da ferrovia é de 1.753 quilômetros e vai passar por 81 municípios dos três estados. Atualmente, a obra emprega mais de três mil operários apenas no Piauí e mais de seis mil no total.

O objetivo do projeto é aumentar a competitividade da produção agrícola, já que contará com uma moderna logística que vai unir uma linha férrea de alto desempenho e portos de calado profundo que podem receber navios de grande porte.

Quando estiver operando, a ferrovia terá capacidade para transportar até 30 milhões de toneladas por ano, com destaque para minério de ferro, grãos (soja, farelo de soja, milho, algodão) e gipsita (gesso agrícola que tem aplicação como corretivo do solo e como gesso industrial). A ferrovia estimulará investimentos em outros setores, como os de cimento, clínquer (matéria-prima para a produção do cimento), combustíveis e fertilizantes, além de ser uma nova opção para o escoamento da produção do polo de fruticultura irrigada de Petrolina (PE) e Juazeiro (BA).

Fotos TLSA (5)

Quando concluída, a Ferrovia Transnordestina vai passar por três estados e 81 municípios. Foto: Divulgação TLSA.


No último dia 28 de agosto, a presidenta assinou ordem de serviço para início das obras de construção do lote quatro do trecho da Transnordestina entre os municípios cearenses de Missão Velha e Pecém.

Governo define nova data para o ‘Enem dos concursos’; CNU será em 18 de agosto

  O Ministério da Gestão divulgou, nesta quinta-feira (23), a nova data para o Concurso Público Nacional Unificado (CNPU), que ficou conhec...